PARQUE CAPIBARIBE ABRAÇA O GRUPO CAMINHADAS DOMINGUEIRAS




O grupo recifense Caminhadas Domingueiras, que realiza passeios a pé pelo Recife, realizou duas excursões pelo Rio Capibaribe: uma a pé e outra de catamarã, oportunidades em que conheceram o projeto do Parque Capibaribe para a cidade. Confira!


O que é o Parque Capibaribe?

Iniciativa que promove diretrizes de articulação entre o Rio Capibaribe e os espaços urbanos, conectando as bordas/margens com equipamentos existentes na cidade e espaços de área verde, criando ciclovias e interligando vias de ônibus com uma nova experiência de articulação modal de transporte. Com isso, o Parque Capibaribe promove tambem uma mudança de mentalidade da população em relação ao rio, lançando um olhar inovador para as inúmeras possibilidades de ações nas águas do Capibaribe.

O rio que queremos

Ao transformar o Recife em uma cidade-parque, o Parque Capibaribe visa elevar a taxa de área verde pública, que hoje é de 1,2 metros quadrados por habitante. Planeja-se mudar este dado para 20 metros quadrados por habitante em 2037, quando o Recife completa 500 anos.


O projeto do Parque Capibaribe visa envolver mais de um terço da área da cidade. Isso porque o Parque não foi apenas pensado como linha, em seus 30 km de extensão. Ele trabalha com pelo menos 500 metros ao redor de cada margem, o que delimita 7250 hectares de área de influência. Assim, o Parque Capibaribe influenciará 35 bairros, que vão gradualmente se transformar em bairros-parque, atingindo 400 mil habitantes do Recife.

Equipe Transdisciplinar

De base multidisciplinar, este convênio reúne grupos de pesquisa de excelência em várias áreas de conhecimento e instituições de ensino, como engenharia, sociologia, biologia, recursos hídricos, agronomia, botânica, resíduos sólidos, paisagismo, habitação, estudos espaciais de morfologia, ergonomia, como também grupos ligados à mobilidade urbana, desenvolvimento sustentável e desenho urbano voltado à concepção de espaços públicos de qualidade.

Diálogo com a população

Associados a esse corpo teórico e prático especializado, estão sendo desenvolvidos dispositivos de conhecimento para diálogo com a população, como por exemplo a promoção de workshops onde os moradores são convidados a experimentar ideias a serem implantadas nas bordas do rio, como também a criação desta plataforma aberta e georreferenciada para a construção de uma conscientização coletiva, colaborativa e democrática, verificando assim se as ideias propostas têm aderência ao que a população das margens e arredores do Capibaribe realmente necessita.

Esta plataforma é um produto do Parque Capibaribe - Caminho das Capivaras, convênio de cooperação técnica entre a Prefeitura da Cidade do Recife (PCR), através da Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife (SEMAS) e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

.