ATRIZES PERNAMBUCANAS PARA O BRASIL VER


Cinco atrizes locais ganham projeção nacional em novelas, minisséries e seriados produzidos para a TV 


A teledramaturgia revela “caras novas” tão rapidamente quanto as cenas dos próximos capítulos. Umas viram nomes carimbados nos créditos de séries, minisséries e novelas. Outras desaparecem tão velozmente quanto surgiram. E Pernambuco movimenta o circuito. Atrizes daqui batalham um lugar sob os flashes, sem que o telespectador saiba de onde vieram. É que o sotaque é disfarçado nas aulas de prosódia ou sessões com fonoaudiólogos, indispensáveis na TV. 


 A recifense Lucy Ramos é um exemplo. A Sheila, de Salve Jorge (Globo), tem 30 anos e nove novelas no currículo. O primeiro papel na TV foi em Começar de novo, de 2004. Passou por tramas como Cordel encantado, Paraíso, Malhação e Sinhá moça e o seriado As brasileiras. Ela foi a São Paulo aos cinco anos, onde cresceu, trabalhou como modelo e se dedicou mais ao teatro e à TV. Foi convidada pela diretora Sandra Werneck a viver a ex-ministra Marina Silva. O filme está em fase de pré-produção.



Assim como Lucy, moda foi a primeira opção da atriz Rhaisa Batista. A pernambucana foi criada em Lagoa de Itaenga, a 72 quilômetros do Recife. Em dois anos, atuou no seriado Louco por elas e na novela Lado a lado. Hoje, está em Malhação. “Veio a oportunidade do teste, ainda sem experiência. Fiquei apavorada. Mas encarei e deu tudo certo. Não podia deixar de tentar”, recorda a atriz, sobre a estreia em Louco por elas.

A modelo não pretende abandonar as passarelas. Apenas se preocupa em ampliar o tempo de dedicação aos estudos de interpretação. “A cada minuto de glamour, são horas de ralação, de muito trabalho. Ser atriz é uma profissão que exige dedicação”, frisa.




Filha da bailarina Andréa Carvalho, a atriz Rayana Carvalho vai estrear como Lis na novela Dona Xepa, na TV Clube/Record, a quinta da trajetória. Aos 26 anos, já passou pelo elenco de Água na boca (Band) e Rebelde (Record).  







 Já para quem acompanha a produção do cinema pernambucano, é fácil reconhecer a atriz Renata Roberta. Antes de estrear em Flor do Caribe (Globo), atuou em Era uma vez eu, Verônica, de Marcelo Gomes, e O som ao redor, de Kleber Mendonça Filho. Renata mora há dois anos em São Paulo.








Aos 28 anos, a atriz Chandelly Braz é outro destaque “pernambucano” na telinha. Nasceu em Minas Gerais, mas veio morar no estado aos sete meses. Nunca retornou à terra natal e se diz pernambucana. Na infância, sofreu bullying devido à semelhança do nome ao de sobremesa de chocolate. 

Participou das séries Clandestinos e Louco por elas, ambas da Globo, e fez sucesso como a periguete Brunessa em Cheias de charme. O trabalho rendeu o convite para ser Marcina na nova versão de Saramandaia, de Ricardo Linhares, que deve estrear em junho. Vai encenar o papel que, na versão de 1976, foi da marcante Sônia Braga. Mas o desafio não a inibe. 




Fonte: http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/viver/2013/05/22/internas_viver,440725/atrizes-pernambucanas-para-o-brasil-ver.shtml